À descoberta da biblioteca 2018

IMG_1792Mês Internacional das Bibliotecas escolares MIBE 2018

A partir do tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o International School Library Month (ISLM) em 2018, “Why I love my school library”, a RBE : “Eu ♥  biblioteca escolar”.

Desafio para os alunos:

A partir do lema e com a hashtag #Eu♥BE, a RBE convida os alunos a demonstrar a sua relação com a biblioteca escolar.
Instruções:
- Criar uma frase, um meme, uma foto, um vídeo, … original que ilustre a sua ligação à biblioteca escolar;
- Partilhar no Facebook e/ou no Instagram com a hashtag #Eu♥BE.

AVALIAÇÃO DO BÁSICO | 7.º ANO

À DESCOBERTA DA BIBLIOTECA – SECUNDÁRIO 

EQUIPA 1  -   EQUIPA 2  -   EQUIPA 3  -   EQUIPA 4  -   EQUIPA 5  -   EQUIPA 6

EQUIPA 7

- AVALIAÇÃO pelo secundário

Melhor equipa por turma:

10.º LH1 (17 pontos): Tatiana Sobreiro, Rodrigo Santos, Tiago Ferreira, Joana Rodrigues, Emilly Rodrigues, Carolina Santos

+ Literacia

Página de apoio a atividades no âmbito das literacias.

Tutorial do Tutorial_Padlet_

Ferramentas digitais gratuitas aqui.

Mural do 11.º AV2 – Autobiografias | M10
Mural do 8.º B – “Aquilo que os olhos veem ou o Adamastor”
Recursos para o 10.º LH2:
Museu Malhoa
Coleção do Museu Malhoa (apresentação breve, DRCC)
Desenhos | esquiços de Malhoa

matrizNet

MatrizNet (catálogo coletivo on-line dos Museus nacionais, tutelados pela DGPC, pelas DRCNCA, Parques de Sintra, 100.000 bens; motor para pesquisa de 34 bases de dados de inventário, maior amplitude a nível internacional)
Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado MNAC
Ferramentas para edição de podcast
Mural do 10.º LH2 aqui.

Aniversário da morte de Fernando Pessoa

No dia 30 de novembro de 1935, por volta das 20h, morreu Fernando António Nogueira Pessoa, no Hospital de S. Luís do Franceses, em Lisboa, onde tinha sido internado no dia anterior devido a fortes dores abdominais. As suas últimas palavras, em inglês, foram escritas a lápis: «I know not what tomorrow will bring» (Eu não sei o que o amanhã trará).

FERNANDO PESSOA

Nascido em Lisboa a 13 de junho de 1888, Fernando Pessoa foi um importante escritor português. Contudo, as suas obras só começam a receber um maior reconhecimento após a sua morte, em 30 de novembro de 1935, sobretudo devido ao facto de o autor ter publicado somente uma pequena parte das suas obras em vida.

A sua educação foi determinada pelo segundo casamento da mãe, em 1895, com o cônsul de Portugal na África do Sul, João Miguel Rosa, o que obrigou a que a família se deslocasse para Durban, onde Pessoa viveu e estudou até aos 17 anos, idade com que regressou a Lisboa, onde terá passado a maior parte da sua vida, desempenhando a profissão de correspondente  estrangeiro em casas comerciais.

Pessoa destacou-se dos outros escritores pelas mais diversas razões. Pela habilidade demonstrada nas suas descrições da inquietação e da natureza desassossegada do ser humano, sendo a sua obra «Livro do Desassossego» a mais conhecida internacionalmente. Pelo seu génio efervescente, que desafiou os limites da imaginação humana. Pelo valiosíssimo legado que nos deixou e que continua a ter impacto, nos dias de hoje, na nossa forma de sentir e ver o mundo.

A vida e obra de Pessoa foram profundamente marcadas pela sua inconstância e pelo seu espírito fragmentado, o que se terá traduzido não só nas inúmeras personalidades que criou, mas também nas diferentes posições e atitudes políticas, muitas vezes contraditórias, que tomou ao longo da sua vida.

Sentado no café A Brasileira, que costumava frequentar, Pessoa viajou pelo mundo. No meio da confusão da cidade lisboeta, soube apreciar a quietude e a paz do campo. E, apesar da sua personalidade tímida e tendencialmente discreta, a verdade é que a sua visão marcou profundamente a literatura portuguesa, e a sua voz, outrora rouca e pigarreada, chega até nós mais impetuosa que nunca, ecoando nas nossas mentes e nos nossos corações.

Texto de Sofia Furtado, n.º 26, 12.º LH1